Regressar à lista

TRAVAGEM DE EMERGÊNCIA ATIVA

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

O sistema utiliza as informações provenientes do radar 2 e da câmara 1 para determinar a distância relativamente ao seu veículo:

- do veículo que circula mais à frente na mesma via;

ou

- peões e ciclistas existentes nas imediações.

O sistema informará o condutor caso exista risco de colisão frontal, de modo a permitir as devidas manobras de emergência (carregando no pedal do travão e/ou rodando o volante).

Consoante a capacidade de resposta do condutor, o sistema pode facilitar a travagem de modo a limitar os danos ou evitar uma colisão.

Nota: certifique-se de que o para-brisas e o para-choques dianteiro não estão obstruídos (por sujidade, lama, neve, condensação, placa de matrícula, etc.).

Este sistema pode aplicar a travagem máxima ao veículo até uma paragem completa, se necessário.

Por motivos de segurança, utilize sempre o cinto de segurança nas suas viagens e certifique-se de que o veículo está carregado de modo a que nenhum objeto possa ser projetado e atingir os ocupantes.

Esta função constitui uma ajuda suplementar à condução. Esta função não substitui, de forma alguma, a vigilância e a responsabilidade do condutor, o qual deve assegurar sempre o controlo do veículo.

Funcionamento

Deteção de veículos

Em andamento, em caso de risco de colisão com o veículo que circular mais à frente, o sistema:

- avisará o condutor sobre o risco de colisão: quando a velocidade do veículo estiver compreendida entre 7 km/h e 170 km/h, a mensagem “Trave!” será apresentada a vermelho no quadro de instrumentos 3 acompanhada de um aviso sonoro.

Se o condutor carregar no pedal de travão e o sistema continuar a detetar risco de colisão, a força de travagem é amplificada.

- a travagem poderá ser ativada: com o veículo a circular a uma velocidade inferior a aproximadamente 120 km/h, se o condutor não reagir ao aviso e uma colisão se tornar iminente.

Se o veículo tiver parado como resultado da travagem de emergência ativa, o condutor deverá manter o veículo imobilizado carregando no pedal do travão.

Nota: se o condutor utilizar os controlos do veículo (volante, pedais, etc.), o sistema poderá retardar ou não ativar determinadas operações.

Particularidades dos avisos

Consoante a velocidade, o aviso e a travagem poderão ser ativados simultaneamente.

Particularidades dos veículos imobilizados

Os veículos imobilizados são detetados quando o veículo circula a uma velocidade compreendida entre aproximadamente 7 e 80 km/h. O sistema não é ativado e não emite qualquer aviso relativo a veículos imobilizados quando a velocidade é superior a aproximadamente 80 km/h.

No caso de uma manobra de emergência, pode interromper a travagem em qualquer momento:

- carregando rapidamente no pedal de acelerador;

ou

- rodando o volante como manobra para evitar uma colisão.

Deteção de peões e ciclistas

(consoante o veículo)

Ao circular a uma velocidade compreendida aproximadamente entre 7 e 80 km/h, se existir um risco de colisão com um peão ou ciclista, o sistema:

- avisará o condutor do risco de colisão:

a mensagem “Trave!” será apresentada a vermelho no quadro de instrumentos 3, acompanhada de um sinal sonoro.

Se o condutor carregar no pedal de travão e o sistema detetar, ainda assim, um risco de colisão, a força de travagem será amplificada caso não seja suficiente para evitar a colisão.

- poderá ativar a travagem:

se o condutor não reagir na sequência do alerta e a colisão se tornar iminente.

Se a travagem de emergência ativa tiver provocado a paragem do veículo, este permanecerá imobilizado durante um curto período de tempo. Para além deste limite de tempo, o veículo deve permanecer imobilizado por ação do condutor, mantendo o pé no pedal de travão.

Nota: se o condutor utilizar os controlos do veículo (volante, pedais, etc.), o sistema poderá retardar ou não ativar determinadas operações.

Particularidades dos avisos

Consoante a velocidade, o aviso e a travagem poderão ser ativados simultaneamente.

No caso de uma manobra de emergência, pode interromper a travagem em qualquer momento:

- carregando rapidamente no pedal de acelerador;

ou

- rodando o volante como manobra para evitar uma colisão.

Ativação, desativação do sistema

Para veículos equipados com ecrã multimédia

Com o veículo parado e o motor a trabalhar, no ecrã multimédia 4, selecione o menu «Ajustes», o separador «Veículo», o menu «Assistente de condução», «Frenagem ativa» e, em seguida, selecione «ON» ou «OFF».

Após a desativação do sistema, acender-se-á o testemunho ou, consoante o veículo, o testemunho no quadro de instrumentos.

Temporariamente indisponível

Se o sistema detetar uma avaria temporária, acender-se-á o testemunho ou, consoante o veículo, acender-se-á o testemunho no quadro de instrumentos.

As causas possíveis são as seguintes:

- o sistema está temporariamente obstruído (encandeado pelo sol, médios, condições atmosféricas adversas, etc.). O sistema ficará novamente operacional quando as condições de visibilidade melhorarem;

- o sistema é temporariamente interrompido (por exemplo, o para-brisas, o para-choques dianteiro ou traseiro ou o logótipo estão obstruídos por sujidade, lama, neve, condensação, etc.). Neste caso, estacione o veículo e desligue o motor. Limpe o para-brisas, o para-choques dianteiro ou o logótipo. Da próxima vez que o motor for ligado, o testemunho de alerta e a mensagem apagar-se-ão.

Se assim não for, esta situação poderá dever-se a outra causa; contacte um representante da marca.

Anomalia de funcionamento

Se a função detetar uma anomalia de funcionamento, os testemunhos © e ou, consoante o veículo, o testemunho acende(m)-se a amarelo no quadro de instrumentos, acompanhado(s) da mensagem “Verificar câmara dianteira” ou “Verificar sensor dianteiro” ou “Verificar câmara/sensor”.

Consulte um representante da marca.

O sistema reativa-se sempre que ligar a ignição do veículo.

Travagem activa de urgência

Esta função constitui uma ajuda suplementar à condução. Esta função não substitui, de forma alguma, a vigilância e a responsabilidade do condutor, o qual deve assegurar sempre o controlo do veículo. A ativação desta função poderá ser retardada ou inibida quando o sistema deteta indícios claros de controlo do veículo por parte do condutor (ação no volante, pedais, etc.).

O sistema não pode ser activado:

- quando a alavanca da caixa de velocidades estiver em ponto morto ou se o pedal da embraiagem for premido durante dez segundos;

- quando o travão-de-mão está activado;

- quando o controlo eletrónico de estabilidade (ESC) tiver sido iniciado.

Intervenções/reparações do sistema

- Em caso de impacto, o radar e/ou a câmara poderão ser desalinhados e o respetivo funcionamento poderá ser afetado. Desative a função e contacte um representante da marca.

- Qualquer intervenção na zona do radar e/ou da câmara (reparações, substituições, modificações no para-brisas, etc.) deve ser realizada por um profissional qualificado.

Apenas um representante da marca está habilitado a intervir no sistema.

Em caso de perturbação do sistema

Determinadas condições podem perturbar ou degradar o funcionamento do sistema, tais como:

- um meio ambiente complexo (ponte metálica, túnel, etc.);

- más condições atmosféricas (neve, granizo, gelo, etc.);

- má visibilidade (noite, nevoeiro, etc.);

- mau contraste entre o objeto (veículo, peão, etc.) e a zona envolvente (por exemplo, peão vestido de branco numa zona com neve, etc.);

- encandeamento (sol intenso, luzes de veículos em sentido contrário, etc.);

- para-brisas tapado (por sujidade, gelo, neve, condensação, etc.);

- ...

Nestas condições, o sistema poderá não reagir ou poderá travar inadvertidamente.

Limitação do funcionamento do sistema

- Sempre que o veículo é ligado, o sistema realiza uma calibração de acordo com o meio envolvente do veículo e poderá permanecer inativo durante um período de tempo compreendido entre dois e cinco minutos, aproximadamente;

- Um veículo que circule em sentido inverso não aciona qualquer alerta nem afeta o funcionamento do sistema;

- As zonas do radar e da câmara devem permanecer limpas e isentas de alterações de modo a assegurar o devido funcionamento do sistema;

- O sistema poderá não reagir a veículos de pequenas dimensões, como, por exemplo, motos, de forma tão eficaz como relativamente a outros veículos;

- O sistema poderá não funcionar de forma ideal quando o piso da estrada é escorregadio (chuva, neve, fina camada de gelo, etc.);

- No sentido de garantir um funcionamento correto, o sistema necessita de distinguir o contorno completo do peão. Como tal, o sistema não é capaz de detetar:

- peões na escuridão ou em más condições de iluminação;

- peões parcialmente visíveis:

- peões com menos de 80 cm de altura, aproximadamente;

- peões que transportem objetos de grandes dimensões;

- ...

Nestas condições, o sistema poderá não reagir ou poderá travar inadvertidamente.

Desactivação da função

Será necessário desativar a função se:

- se as luzes de stop não funcionarem;

- se a zona da câmara tiver sido danificada (por exemplo, no interior ou no exterior do para-brisas);

- a frente do veículo tiver sido danificada (impacto, deformação, risco no radar, etc.);

- o veículo foi rebocado (desempanagem);

- o para-brisas estiver fissurado ou deformado (não realize reparações do para-brisas nesta zona; solicite a respetiva substituição junto de um representante da marca);

- não circular numa estrada pavimentada.

Em caso de comportamento anormal do sistema, desative-o e consulte um representante da marca.

Interrupção da função

Pode interromper a função de travagem ativa em qualquer altura através de uma pressão rápida no pedal de acelerador ou manobrando o volante para evitar uma colisão.