Regressar à lista

SISTEMAS DE CORREÇÃO E DE AJUDA À CONDUÇÃO

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Nalgumas versões, são constituídos por:

- de anti-bloqueio de rodas (ABS);

- o controlo eletrónico de estabilidade (ESC) com controlo de subviragem, assistente de vento lateral e sistema antipatinagem;

- ajuda à travagem de emergência;

- ajuda ao arranque em subida;

- de apoio à condução com reboque;

- sistema antipatinagem -Extended grip.

Outros sistemas de ajuda à condução são descritos nas páginas seguintes.

Estas funções constituem um auxílio perante situações criticas, permitindo adaptar o comportamento do veículo às condições de condução.

Estas funções não intervêm em lugar do condutor. Estas funções não aumentam as potencialidades do veículo e não devem ser tomadas como um convite à condução a uma velocidade mais elevada. Como tal, em caso algum poderão substituir a vigilância e a responsabilidade do condutor (este deve manter-se atento a situações imprevistas e delicadas que possam surgir durante a condução).

Anti-bloqueio de rodas (ABS)

Aquando de uma travagem intensiva, o ABS permite evitar a blocagem das rodas e assim controlar a distância de paragem e manter o controlo do veículo.

Nestas condições, manobras um pouco bruscas para evitar um obstáculo, com ação no travão, são agora admissíveis. Além disso, este sistema permite otimizar as distâncias de paragem, ainda que a aderência de uma ou de várias rodas seja precária (piso molhado, etc.).

A entrada em ação da função manifesta-se por uma vibração do pedal de travão. O ABS não permite, em caso algum, aumentar os desempenhos fisicamente ligados às condições de aderência dos pneus ao solo. As regras de prudência devem ser imperativamente respeitadas (distância entre veículos, etc.).

Em caso de emergência, o pedal de travão deve ser acionado a fundo, forte e continuamente. Não é necessário fazê-lo por pressões sucessivas. O ABS modulará a força aplicada no sistema de travagem.

Anomalias de funcionamento:

- © e x acesos no quadro de instrumentos e acompanhados das mensagens “Mandar verificar o ABS”, “Mandar verificar os travões” e “Mandar verificar ESC”: isto indica que o ABS, o ESC e o sistema de assistência à travagem de urgência estão desativados. A travagem continua assegurada;

- x, D, © e ® acesos no quadro de instrumentos, acompanhados da mensagem “Avaria sistema de travagem”: tal indica uma avaria no sistema de travagem.

Nos dois casos, consulte um representante da marca.

A travagem é parcialmente assegurada. No entanto, é perigoso travar bruscamente e é imperativo parar imediatamente assim que as condições de circulação o permitirem. Chame um representante da marca.

Estas funções constituem um auxílio perante situações criticas, permitindo adaptar o comportamento do veículo às condições de condução.

Estas funções não intervêm em lugar do condutor. Estas funções não aumentam as potencialidades do veículo e não devem ser tomadas como um convite à condução a uma velocidade mais elevada. Como tal, em caso algum poderão substituir a vigilância e a responsabilidade do condutor (este deve manter-se atento a situações imprevistas e delicadas que possam surgir durante a condução).

Controlo de estabilidade dinâmica (ESC) com controlo de subviragem e sistema antipatinagem

Controlo de estabilidade dinâmica ESC

Este sistema ajuda a manter a estabilidade do veículo em situações «críticas» de condução (contorno de um obstáculo, perda de aderência em curva, etc.).

Princípio de funcionamento

O volante possui um sensor que per- mite ao sistema reconhecer o tipo de condução escolhido pelo condutor.

Há outros sensores, distribuídos pelo veículo, que permitem avaliar a sua trajetória real.

O sistema compara as manobras do condutor com a trajetória real do veículo e corrige esta última, se necessário, provocando a travagem de algumas rodas e/ou recorrendo à potência do motor. Caso o sistema seja ativado, o testemunho piscará no quadro de instrumentos.

Controlo de subviragem

Este sistema otimiza a ação do ESC em caso de subviragem acentuada (perda de aderência do trem dianteiro).

Assistente de vento lateral

Este sistema otimiza a ação do ESC e ajuda igualmente a controlar o veículo em caso de variação dos ventos laterais. O sistema ajuda a manter a trajetória do veículo através da utilização dos travões.

Se o sistema for ativado, o testemunho será apresentado no quadro de instrumentos.

Sistema antipatinagem

Este sistema destina-se a limitar a patinagem das rodas motrizes e a conservar a trajetória do veículo em situações de arranque, de aceleração ou de desaceleração.

Princípio de funcionamento

Através dos sensores de rodas, o sistema mede e compara, constantemente, a velocidade das rodas motrizes e deteta uma eventual falta de aderência. Quando uma roda tende a patinar, o sistema trava-a até que a sua motricidade se torne compatível com o nível de aderência ao piso.

O sistema também atua no regime do motor, em função da aderência possível ao piso, independentemente da pressão exercida no pedal do acelerador.

Nalgumas situações (condução em piso pouco aderente: neve, lama... ou condução com pneus com correntes), o sistema pode reduzir a potência do motor para limitar a patinagem.

Anomalia de funcionamento

Quando o sistema deteta uma anomalia de funcionamento, a mensagem “Mandar verificar ESC” e os testemunhos © e são apresentados no quadro de instrumentos. Neste caso, oESC e o sistema antipatinagem são desativados.

Dirija-se a um representante da marca.

Inibição da função antipatinagem

Nalgumas situações (condução em piso pouco aderente: neve, lama, etc. ou condução com pneus com correntes), o sistema pode reduzir a potência do motor para limitar a patinagem. Quando este não for o efeito pretendido, a função pode ser desativada; para isso, prima o interruptor 1. Neste caso, o testemunho é apresentado de forma contínua no quadro de instrumentos, acompanhado da mensagem “ESC desativado”. Esta ação não desativa o ESC.

O sistema antipatinagem é um dispositivo de segurança suplementar; por isso, aconselhamo-lo a que a utilize em todas as deslocações. Reactive a função logo que possível; para isso, prima novamente o interruptor 1.

Nota: a função é automaticamente reactivada ao ligar a ignição ou logo que o veículo ultrapasse a velocidade de, aproximadamente, 50 km/h.

Auxílio à travagem de emergência

Trata-se de um sistema complementar ao ABS que ajuda a reduzir as distâncias de paragem do veículo.

Princípio de funcionamento

O sistema identifica uma situação de travagem de emergência. Neste caso, o sistema de travagem desenvolve imediatamente a sua máxima potência e poderá ativar a regulação do ABS.

A travagem ABS mantém-se enquanto o pedal de travão estiver acionado.

Acendimento das luzes de travagem

Consoante o veículo, estas luzes poderão piscar no caso de uma desaceleração súbita.

Antecipação da travagem

Consoante a versão do veículo, quando o condutor retira rapidamente o pé do pedal de acelerador, o sistema antecipa a travagem para reduzir as distâncias de paragem.

Casos particulares

Durante a utilização do regulador de velocidade:

- se utilizar o pedal de acelerador, ao aliviar a pressão no pedal o sistema pode ativar-se;

- se não utilizar o acelerador, o sistema não será ativado.

Anomalia de funcionamento

Quando o sistema deteta uma anomalia de funcionamento, a mensagem “Mandar verificar os travões” é apresentada no quadro de instrumentos juntamente com o testemunho ©.

Dirija-se a um representante da marca.

Auxílio ao arranque em subida

Consoante o grau de inclinação, este sistema ajuda o condutor a arrancar em subida. Impede que o veículo recue, intervindo na ativação automática dos travões, quando o condutor levanta o pé do pedal de travão para acionar o acelerador.

Funcionamento do sistema

O sistema apenas funcionará se a alavanca de velocidades não estiver em ponto-morto (posição diferente de N ou P nas transmissões automáticas) e se o veículo estiver completamente parado (pedal de travão premido).

O sistema retém o veículo durante aproximadamente 2 segundos. Em seguida, a força de travagem é aliviada progressivamente (o veículo desliza em função da inclinação do piso).

O sistema de ajuda ao arranque em subida não pode impedir totalmente o veículo de recuar ou avançar em todas as situações (inclinações extremamente elevadas, etc.).

O condutor pode, em qualquer caso, acionar o pedal de travão e, desta forma, impedir que o veículo recue.

O sistema de ajuda ao arranque em subida não deverá ser utilizado para paragens prolongadas: utilize o pedal de travão.

Esta função não foi concebida para imobilizar o veículo de forma permanente.

Se necessário, utilize o pedal de travão para parar o veículo.

O condutor deve manter-se particularmente vigilante ao circular em pisos escorregadios ou pouco aderentes.

Perigo de ferimentos graves.

Apoio à condução com reboque

Este sistema ajuda a manter o controlo do veículo no caso de uma utilização com reboque. Detecta as oscilações provocadas pela tracção do reboque em condições particulares de condução.

Condições de funcionamento

- O reboque deve ser homologado por um representante da marca;

- o feixe luminoso deve ser homologado por um Representante da marca;

- o reboque deve estar ligado ao veículo.

Princípio de funcionamento

A função estabiliza o veículo por:

- uma travagem assimétrica das rodas dianteiras para reduzir as oscilações provocadas pelo reboque;

- uma travagem das quatro rodas e uma limitação do binário do motor para reduzir a velocidade do veículo até à paragem das oscilações.

O indicador pisca no quadro de instrumentos para o informar.

Sistema antipatinagem - “Extended grip

Quando o veículo está equipado, o controlo de aderência permite facilitar o controlo do veículo em estradas com condições de aderência reduzidas (piso móvel...).

Estas funções constituem um auxílio suplementar em situações de condução crítica, por adaptar o comportamento do veículo ao tipo de condução.

As funções não intervêm em lugar do condutor. Estas não aumentam as potencialidades do veículo e não devem ser tomadas como um convite à condução a alta velocidade. Como tal, em caso algum poderão substituir a vigilância e a responsabilidade do condutor (este deve manter-se atento a situações imprevistas e delicadas que possam surgir durante a condução).

Modo «Estrada»

Quando o veículo arranca, a mensagem “Modo estrada ativado” é apresentada no quadro de instrumentos.

O modo predefinido «Estrada» permite uma utilização ideal em condições de estrada normais (piso seco, molhado, com pouca neve, etc.).

O modo «Estrada» utiliza as funções do sistema antipatinagem.

Modo «Piso móvel»

Prima o interruptor 2: o testemunho é apresentado no quadro de instrumentos, acompanhado da mensagem “Modo fora estrada ativado”, seguindo-se a mensagem “ESC desativado”. Esta posição permite uma utilização ótima em pisos pouco estáveis (lama, areia, folhas mortas, etc.). Nesta posição, o regime do motor mantém-se sob o controlo do condutor.

O sistema muda automaticamente para o modo “Estrada” a velocidades superiores a cerca de 50 km/h. O testemunho desaparece e a mensagem “Modo estrada ativado” é apresentada no quadro de instrumentos para avisar o condutor.

Após desligar o motor, o veículo será sempre novamente ligado no modo «Estrada».

Pneus

Quando houver necessidade de substituir, recomenda-se que monte no seu veículo pneus da mesma marca, do mesmo tipo, da mesma dimensão e da mesma estrutura.

Os pneus devem ser idênticos aos do equipamento de origem, isto é, aos preconizados por um representante da marca.

EXTENDED GRIP

ANTIPATINAGEM (ESC)