CINTOS DE SEGURANÇA

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Para sua segurança, utilize o cinto de segurança em todas as deslocações. Além disso, não se esqueça da legislação em vigor no país em que circula.

Antes de arrancar, proceda à regulação da posição de condução e, em seguida, para todos os ocupantes, ao ajustamento correcto do cinto de segurança, para obter a melhor protecção.

Regulação da posição de condução

- Sente-se correctamente no fundo do banco (depois de ter despido o sobretudo, o blusão…). É essencial para um bom posicionamento das costas;

- regule o assento em função dos pedais. O seu banco deve estar na posição mais recuada que lhe permita premir a fundo o pedal da embraiagem. A regulação do encosto deve ser feita de modo a deixar os braços ligeiramente flectidos;

- regule a posição do seu apoio-de-cabeça. Para um máximo de segurança, a distância entre a sua cabeça e o respetivo apoio deve ser mínima;

- regule a altura do assento. Esta regulação permite selecionar a posição do banco que proporciona a melhor vista possível ;

- regule a posição do volante.

Certifique-se de que o banco traseiro é corretamente bloqueado na devida posição, de modo a que os cintos de segurança traseiros funcionem corretamente. BANCO TRASEIRO: funções.

Cintos de segurança mal ajustados ou torcidos podem provocar ferimentos em caso de acidente.

Nunca um só cinto deve ser utilizado por mais de uma pessoa ao mesmo tempo, quer se trate de uma criança ou de um adulto.

Mesmo as mulheres grávidas devem utilizar sempre o cinto de segurança. Neste caso, o cinto deve ser colocado de modo a que não seja exercida grande pressão sobre a parte inferior do ventre, embora sem excessiva folga.

Regulação dos cintos de segurança

Mantenha-se bem apoiado no encosto de banco.

O segmento torácico 1 do cinto deve ficar o mais próximo possível do pescoço, mas sem lhe tocar.

O segmento 2 deve assentar bem nas coxas e na bacia.

O cinto de segurança deve adaptar-se bem ao corpo. Ex.: evite vestuário muito espesso, objectos intercalados…

Para os utilizar

Puxe o cinto lentamente e sem esticões, até engatar a lingueta 3 na caixa 5 (para verificar o travamento, puxe pela lingueta 3).

Se o cinto se bloquear ao desenrolálo, deixe que recue um pouco e puxe novamente.

Se o cinto ficar totalmente bloqueado, puxe-o, lenta mas fortemente, até conseguir deslocá-lo cerca de 3 cm. Deixe que recue um pouco e puxe novamente.

Dirija-se a um representante da marca, se o problema subsistir.

Para o soltar

Prima o botão 4: o cinto é recuperado pelo enrolador. Acompanhe o cinto enquanto se enrola.

ß Testemunho de alerta de não-utilização do cinto de segurança do condutor e, nalgumas versões, do cinto do passageiro dianteiro

Acende-se no visor central ao ligar a ignição e se o cinto de segurança do condutor e/ou do(s) passageiro(s) dianteiro(s) (se o banco do passageiro estiver ocupado) não estiver(em) encaixado(s). Consoante o veículo, se o banco está ocupado e um destes cintos de segurança não estiver encaixado ou for desencaixado quando o veículo circular a uma velocidade superior a aproximadamente 20 km/h, o testemunho piscará e será emitido um sinal sonoro durante aproximadamente 120 segundos.

Nota: um objeto colocado no banco do passageiro dianteiro poderá ativar o testemunho em determinados casos, consoante o veículo.

Alerta de não-utilização de cinto de segurança traseiro (nalgumas versões)

O gráfico 6 é apresentado no quadro de instrumentos quando a ignição é ligada. Isto informa sempre o condutor se o cinto de segurança de cada um dos lugares traseiros está ou não encaixado:

- a ignição é ligada;

- é aberta uma porta;

- ao encaixar ou desencaixar um cinto de segurança traseiro.

reprodução do gráfico 6 :

- indicador verde: cinto colocado;

- testemunho apresentado a vermelho: o lugar está ocupado e o cinto de segurança não está encaixado;

- indicador cinzento: banco não ocupado.

Consoante o veículo, o testemunho no visor central também se acenderá ao ligar a ignição, se um lugar traseiro estiver ocupado e o cinto de segurança não estiver encaixado.

Quando a velocidade do veículo for inferior a aproximadamente (20 km/h), o testemunho no visor central também se acenderá se um cinto de segurança traseiro não estiver encaixado.

É acompanhado do símbolo 6 o qual é apresentado durante aproximadamente 60 segundos sempre que um dos cintos de segurança traseiros é encaixado ou desencaixado.

Quando a velocidade do veículo atingir ou exceder 20 km/h, se um dos cintos de segurança traseiros estiver ou for desencaixado durante o trajeto:

- o testemunho piscará no visor central;

e

- será emitido um sinal sonoro durante 30 a 120 segundos (consoante a versão);

e

- o símbolo 6 será apresentado durante, pelo menos, 60 segundos, aproximadamente, e o símbolo do lugar em questão passará a vermelho.

Certifique-se sempre de que os passageiros traseiros utilizam os respetivos cintos e que o número de cintos encaixados indicados corresponde ao número de lugares traseiros ocupados.

Nota: em alguns casos, o testemunho poderá ser ativado se um objeto for colocado num dos lugares traseiros, consoante o veículo.

Regulação em altura dos cintos de segurança dianteiros

Desloque o botão 7 para regular a altura do cinto, de forma a que o segmento torácico fique como indicado anteriormente. Prima o botão 7 e suba ou desça o cinto. Depois de concluída a regulação, assegure-se do seu correcto travamento.

Cintos traseiros laterais 8

A aplicação e o posicionamento efectuam-se de modo idêntico ao dos cintos dianteiros.

Depois de cada manipulação do banco traseiro, verifique se os cintos de segurança traseiros estão bem posicionados e se funcionam correctamente.

Cinto de segurança traseiro central

Puxe o cinto lentamente 9.

Encaixe a lingueta 10 na respetiva caixa de travamento preta 11.

Encaixe a lingueta 12 na caixa de travamento vermelha 13.

Certifique-se de que deixa sempre a lingueta 10 inserida na caixa de travamento 11 mesmo que não exista qualquer passageiro no banco central.

As informações que se seguem dizem respeito aos cintos dianteiros e traseiros.

- Não deve proceder a qualquer modificação dos elementos do sistema de retenção montados de origem: cintos de segurança, bancos e respectivas fixações. Para casos particulares (ex: instalação de uma cadeira para criança), consulte um representante da marca.

- Não utilize dispositivos que possam provocar folgas nos cintos (molas, pinças, etc.), porque um cinto lasso pode provocar ferimentos em caso de acidente.

- Nunca faça passar o cinto por baixo do seu braço, nem por trás das costas.

- Não utilize o mesmo cinto para mais de uma pessoa (não envolva com o cinto uma criança que tenha ao colo).

- O cinto não deve estar torcido.

- Depois de um acidente grave, mande verificar e, se necessário, substituir os cintos de segurança. Da mesma forma, substitua os cintos que apresentem qualquer deformação ou degradação.

- Ao repor o banco traseiro, certifique-se do correto posicionamento dos cintos de segurança e das caixas de travamento, de modo a que possam ser devidamente utilizados.

- Verifique se introduziu a lingueta do cinto de segurança na respectiva caixa de travamento.

- Tenha o cuidado de não colocar, na zona da caixa de travamento do cinto, qualquer objecto susceptível de perturbar o seu correcto funcionamento.

- Assegure-se do bom posicionamento da caixa de travamento (não deve estar escondida, encravada, bloqueada... por pessoas ou objectos).